Nos Acompanhe !

“Contemplando a vida, Deus tem um chamado para nós. Somos chamados inicialmente à santidade, depois à filiação divina pelo batismo, e a vivência radical do batismo nos leva à vida consagrada”.

Essa afirmação do Pe. José Lino Reinaldo Oliveira SAC nos anima na caminhada por que somos chamados por Deus desde a nossa origem. E quando esse chamado é descoberto em profundidade, ele se transforma em vida e serviço.

Com a colaboração das reflexões do padre em uma palestra sobre o chamado à vida consagrada, preparamos este post especial. Confira!

O chamado transborda a partir de três pilares fundamentais!

O chamado de Deus, ou seja, a vocação é específica para cada pessoa, ainda que todos nós sejamos chamados à vida biológica e depois à santidade por causa do nosso batismo. E essa vocação específica tem diversas expressões, uma delas é a vida consagrada.

A consagração da vida dentro de uma comunidade antecede um período de preparação que envolve descoberta e discernimento vocacional. Mas toda comunidade religiosa se sustenta em três pilares fundamentais, os quais o padre definiu como: evangelia, koinonia e diaconia

O primeiro pilar é a vivência do evangelho com alegria, mas manifestada na plenitude da vida. Depois, o evangelho não é vivido sozinho, mas em comunidade, em koinonia, na fraternidade entre irmãos que escolheram viver unidos. 

Por fim, essa comunidade é convidada a sair de si, a lança-se no serviço, a estar com o outro, a construir e edificar o reino de Deus na vida da comunidade e no meio em que se encontra.

O centro do chamado é a entrega do coração!

A realidade da Evangelia, ou seja, uma comunidade que se centraliza em Deus e ali ela encontra o seu sentido, começa a partir da espiritualidade que se define como um encontro pessoal com Deus e com o carisma da congregação.

Para a psicologia, quando alguém se abandona em Deus e se coloca diante Dele como seu Criador, ele encontra a sua identidade, e nessa identidade reconhece a identidade desse Deus como Pai. Esse momento é o encontro do coração humano com o amor divino.

Esse reconhecimento faz toda diferença para a sustentação de uma vocação à vida consagrada, porque traz o sentido da entrega com todas as suas consequências e exigências, ou seja, é a descoberta do sentido, a razão da própria existência.

Surge daí a resposta ao primeiro chamado, que vai se fortalecendo em diferentes etapas, em um processo de encontro, de enamoramento por esta realidade. E então a resposta é a consagração da vida com lucidez, autenticidade e disposição de realizar a vontade de Deus.

A partir desse encontro, nasce uma comunidade de fé. Deus então é alguém que se revela; Ele é o Emanuel; Ele é o companheiro que salva; Ele ensina os segredos e as dimensões de uma realidade fraterna, assim como Ele vive na comunhão Trinitária.

A koinonia e a diaconia caminham juntas!

O chamado agora se amplia, se completa na comunidade, com a ajuda de irmãos que também fizeram sua experiência pessoal, comunitária, têm identidade própria, estão em processos diversos e se identificam com o carisma da congregação. 

Logo, a comunidade, sustentada pela espiritualidade, se torna serviço em todas as circunstâncias. Seja nos afazeres domésticos, no cuidado com um irmão enfermo, seja no apostolado ou no serviço que se oferece principalmente aos mais pobres.

O amor experimentado de forma pessoal, como também no convívio comunitário, transborda em zelo real, sem excluir ninguém, através da diaconia. Neste serviço não há preferência, a gente não escolhe, mas acolhe por causa do Reino e dos compromissos que abraçamos na vida consagrada.

Deus tem um chamado para cada filho(a) seu!

Com a experiência de muitos anos na vida consagrada, o padre Lino revelou segredos, desafios e valores grandiosos sobre o chamado de Deus em sua vida e na Congregação do Apostolado Católico.

São Vicente Pallotti, segundo o padre Lino, conseguiu colocar em prática o que ele experimentou na intimidade com Deus, e foi fiel até o fim de sua vida. Hoje, cada consagrado e consagrada se alimenta dessa espiritualidade e responde de maneira renovada ao chamado de Deus.

Por fim, Deus com certeza tem um chamado para cada filho(a) seu! Resta-nos descobrir o caminho, deixar-se conduzir por Deus e buscar a fidelidade sempre renovada ao amor inicial que nos conquistou um dia! Confira na íntegra Deus tem um chamado para cada pessoa?

Últimos adicionados

Por que Maria é chamada Esposa do Espírito Santo?

Pentecostes e o Carisma Palotino