Quem é São Vicente Pallotti?

“Os Santos são pessoas que acreditaram em Jesus Cristo e viveram Seu projeto, numa realidade específica, tornando-se modelo de vida cristã. São Vicente Pallotti, através de suas palavras e ações, testemunhou o Cristo apóstolo, enviado do Pai. Ele mostrou o espaço para todo o cristão ser apóstolo de Cristo. Entre as muitas contribuições dadas por Pallotti à Igreja,o apostolado universal de todos,merece destaque especial. Ele afirmava que o apostolado não é privilégio da hierarquia eclesial, mas uma obrigação do cristão. Ninguém, além de Pallotti, no século XIX, focalizou com precisão e insistência o “protagonismo do apostolado dos leigos”.

Somente a partir do Concílio Vaticano II, é que a Igreja reconhece e valoriza a vocação do cristão e abre espaços para a missão e atuação do leigo na Igreja. O legado de Pallotti está muito vivo na nossa Igreja, hoje. Por isso apresentamos alguns traços de sua vida apostólica.

Vicente Pallotti nasceu em 21 de abril de 1795, é filho de Pedro Paulo e Madalena De Rossi Seus pais eram muito humildes, gozavam de boa situação econômica e possuíam grandes virtudes cristãs. Vicente, o terceiro dos dez filhos, agradecia a Deus pelos pais e dizia: “O Senhor me deu pais santos. Que severas contas devo prestar a Deus, se não aproveitar dos seus santos ensinamentos”! Sua infância e juventude foram sustentadas e alimentadas pela religiosidade de seus pais.

Foi ordenado sacerdote em 16 de maio de 1818. Após a ordenação, comprometeu-se ativamente em manter viva a fé cristã no povo de Roma e por causa de seu múltiplo e intenso apostolado, tornou-se amigo dos eclesiásticos e dos leigos. A sua presença e ação pastoral em todas as frentes, impulsionava-o a estimular colaboradores eclesiásticos, religiosos e leigos.

Dessa forma, Pallotti pode ocupar-sedas pastorais que abrangiam todos os ambientes da vida eclesial: abriu-se aos pobres e desprezados, aos doentes e marginalizados; aos soldados, trabalhadores, estudantes e aos encarcerados; organizava a formação cristã de jovens, adultos e clérigos; empenhou-se em abrir casas para acolher, educar e formar crianças e jovens órfãos e abandonados. Abriu escolas noturnas para jovens que trabalhavam no campo.

Foi confessor incansável e pregador de missões populares. Era sensível aos problemas do Oriente cristão e difundiu a boa imprensa. Criou o Oitavário da Epifania, uma ação missionária anual, por ocasião da visita dos reis magos ao Presépio (06 a 13 de janeiro), após a Epifania, com a participação de diferentes ritos, raças e culturas como testemunho da unidade e universalidade da Igreja. Em 1835 fundou a União do Apostolado Católico, que consiste em unir todas as forças da Igreja, para evangelizar e praticar as Obras de misericórdia espirituais e corporais. Essa obra é composta por padres, irmãos, irmãs e leigos e está presente nos cinco continentes.

Acima de tudo, destaca-se em S. Vicente Pallotti a experiência do amor e da misericórdia de Deus. Sente-se profundamente amado por Deus e procura corresponder a esse amor, amando a Deus e ao próximo. Procurava em tudo e sempre, ser solícito pela glória de Deus e pela salvação de todos. O motor de todo o seu apostolado era revitalizar a fé ereacender a caridade na dimensão espiritual e temporal, fazendo de cada pessoa um apóstolo.Pessoalmente, Pallotti empenhava-se para progredir continuamente em santidade. Desejava ardentemente que sua vida fosse transformada na vida de Nosso Senhor Jesus Cristo. “Que seja destruída a minha vida e a vida de NSJC seja a minha vida” (SVP)

Toda a sua existência está direcionada para Deus, infinitamente Santo. Sente-se profundamente atraído por Deus, então ele confessa: “Deus, Santidade por essência, com sua própria Santidade infinita” … destrói toda a minha maldade. E quando tudo em mim é destruído, Deus permanece em mim infinito, imenso, eterno, santidade incompreensível ”(OOCC X 459).

Morreu em 22 de janeiro de 1850, em Roma, junto à Igreja de San Salvatore in Onda. Cem anos depois, em 22 de janeiro de 1950, foi proclamado beato pelo Papa Pio XII. Foi canonizado, proclamado santo em 20 de janeiro de 1963,durante o Concílio Vaticano IIpelo Papa João XXIII, que diz do santo: “ São Vicente Pallotti é uma das figuras mais eminentes da atividade apostólica do século XIX ”.

EnglishPortugueseSpanish