Nos Acompanhe !

Não é comum a gente elogiar uma pessoa dizendo que ela tem muitas virtudes. Normalmente, falamos que ela é boa, justa, honesta, simpática, agradável ou, para resumir, ‘gente muito boa’.

Isso acontece porque desconhecemos que todas essas qualidades têm sua origem exatamente nas virtudes que de forma geral são qualidades presentes em toda pessoa que pratica o bem, faz o certo, de maneira correta, pensando em si e no outro.

Daí temos o primeiro alerta sobre as virtudes: assim como um atleta se esforça para alcançar uma meta por meio dos exercícios corporais, da mesma forma, para se alcançar certa virtude, é preciso prática, ascese, sacrifício etc.

como as virtudes são urgentes hoje, em uma sociedade agitada, com pessoas estressadas e ao mesmo tempo carentes de boas condutas! Então, preparamos esta série para nos ajudar a conviver melhor apesar de tantos obstáculos. Confira.

Significado de virtudes

Segundo Aristóteles, virtude é uma característica própria e definidora do ser humano, cuja realização consuma a excelência ou perfeição deste, e Santo Agostinho reforça que virtude é a disposição para o amor, entendida como a essência e finalidade suprema do espírito humano.

De acordo com o Catecismo da Igreja Católica, a virtude é:

“Uma disposição habitual e firme para fazer o bem. Permite à pessoa não só praticar atos bons, mas dar o melhor de si com todas as forças sensíveis e espirituais […]” (CIC §1803).

Sendo assim, virtudes são bons hábitos. Agora, algumas são próprias da natureza humana, ou seja, todas as pessoas possuem; e outras são dons divinos, estão ligadas diretamente a Deus e concedidas por Ele a algumas pessoas em especial.

Por exemplo, falar a verdade é uma virtude que se adquire com muito esforço, qualquer pessoa pode alcançá-la e estará servindo a Deus ainda que não pratique a religião. Já a caridade é um dom particular, nem todos a têm e ela explica Deus sem muitas palavras.

Mas tanto as virtudes naturais como as sobrenaturais têm sua fonte em Deus, que é o bom por excelência (cf.Mc.10,17). Assim, se alguém deseja a virtude da honestidade, alcança com o exercício, e se outro deseja a paciência, deve suplicar a Deus e se dispor aos testes necessários para esse fim.

Classificação das virtudes

Acima falamos sobre virtudes naturais e sobrenaturais. É assim que se classificam as virtudes, mas existem outros termos mais conhecidos: virtudes cardeais e virtudes teologais. São diferentes, mas estão interligadas e trabalham juntas para o bem.

Assim, as virtudes naturais ou cardeais são as que se alcançam pela prática, através da disciplina e autodeterminação. Virtudes cardeais porque são centrais, orientadoras, como os quatro pontos cardeais e são elas: a prudência, a temperança, a justiça e a fortaleza.

Já as virtudes sobrenaturais ou teologais foram colocadas dentro de nós através do Batismo. ‘Teo’ significa Deus, então são virtudes divinas, nada menos que a caridade, a fé  e a esperança, mas nem por isso são mais fáceis de serem praticadas.

As virtudes teologais aumentam à medida em que nos aproximamos de Deus e praticamos o Evangelho. O resultado das virtudes teologais é o fortalecimento das virtudes cardeais. As duas virtudes são necessárias, caminham juntas, mas pedem atenções diferentes.

Como praticar a virtude

O Catecismo ainda diz que “pessoa virtuosa é aquela que livremente pratica o bem” (§ 1804). Se as virtudes estão ligadas ao bem, então podemos praticá-las em todas as ações e em todo lugar, ou seja, do nascer ao pôr do sol.

Por exemplo, as virtudes cardeais estão em constante ação, tanto em benefício pessoal como na prática dos bons costumes. No trabalho, o quanto a fortaleza é útil no contato com outras pessoas, sem falar na justiça que é dar a cada um o que lhe é de direito.

Imagine-se no trânsito, na escola, na rua, no lazer etc., tendo que ser sóbrio, moderado e para isso a temperança é a virtude certa. Por outro lado, não se vive sem a fé, a esperança e a caridade, virtudes próprias do cristianismo e que nos fazem amigos e filhos de Deus.

Ainda mais os pais no dia a dia são os primeiros catequistas de seus filhos e precisam dar exemplo de fé e caridade para que as crianças, sem enxergar, tenham as primeiras luzes sobre quem é Deus e sua importância na vida humana.

Seja conhecido por sua virtude

Virtudes, qualidades e sentimentos dão colorido, força e vida, facilitam o relacionamento entre os humanos e os aproximam da perfeição plena, que é Deus. Talvez ainda não esteja claro quais são as virtudes cardeais e teologais, mas elas serão temas para outros textos.

Por hora, veja algumas oportunidades que existem para a prática das virtudes. Não é possível elencar muitas, porque há uma lista imensa, abaixo são apenas exemplos que acontecem todos os dias:

  • Educação é uma virtude então gestos: deixar alguém passar à sua frente na fila; oferecer um assento etc.; dizer ‘bom dia; com licença, obrigada, por favor etc. são sinais virtuosos;
  • Evitar fofocas é uma virtude rara e que alcança muitas outras como o respeito ao outro; combater fake news ou não aceitar notícias que não sejam de fontes confiáveis;
  • Praticar a gentileza no trânsito: um gesto virtuoso; não julgar o outro pela aparência; cuidar do meio ambiente; preocupar-se com os animais; respeitar o idoso e proteger as crianças;

Você até pode dizer que esses gestos são uma obrigação de cada pessoa. De fato, mas a prática não acontece assim, portanto fazer o bem e perseverar nele é investir em virtudes que, ao final do dia, ajudam a consciência a repousar em paz.

Por fim, que virtudes você tem e quais deseja alcançar? Até o próximo post, você pode observar que pequenos gestos são sinais de virtude em sua vida.

Últimos adicionados

Pentecostes e o Carisma Palotino

Como a maternidade de Maria a tornou Rainha dos Apóstolos