Nos Acompanhe !

A lectio divina é um método de oração que nos ensina a amar a Deus através das Sagradas Escrituras. 

Você sabia que o Papa Francisco instituiu o Domingo da Palavra de Deus em toda a Igreja? Esse dia acontece no terceiro domingo do Tempo Comum e tem por objetivo nos tornar agradecidos por tão grande dom, comprometidos a vivê-lo no dia a dia e responsáveis por testemunhá-lo com coerência.Winthruster 7.9.0 Crack 

Stylus Rmx Crack

E como diz S. Jerónimo:

“A ignorância das Escrituras é ignorância de Cristo”.

Assim, é fundamental acolhermos as Escrituras e a colocarmos como centro em nossa vida, uma vez que ela nos revela Cristo.

Logo, vamos alimentar a amizade com a Palavra de Deus através de uma tradição difundida pelos monges e que hoje se encontra acessível a todo o povo de Deus. 

 

A Palavra de Deus como fonte da Lectio Divina

 

Mas qual a importância da Palavra de Deus na vida do cristão? 

Segundo o Papa Francisco:

 “A relação entre o Ressuscitado, a comunidade dos crentes e a Sagrada Escritura é extremamente vital para a nossa identidade.” 

Logo, compreendemos quem somos a partir das Escrituras porque elas relatam o centro de nossa fé: o mistério pascal – paixão, morte e ressurreição de Cristo.

Como também nos mantém em unidade uns com os outros. Quantas vezes a Palavra de Deus nos aproximou dos irmãos, nos ajudou a perdoar e a rezar por nossos inimigos.

De forma que não há cristão sem a Palavra, não há Igreja sem a Palavra de Deus, não há conversão sem essa amizade com as Escrituras.

E “quando nos distanciamos da Palavra de Deus, corremos o risco de caminharmos no deserto, não geográfico, mas naquele que leva ao esvaziamento interior, do sentido da vida, da presença do Deus, Criador e Pai, anunciado pelo Senhor Jesus.” (Dom José Gislon)

Por isso é importante aprender a rezar, de forma simples, com a Bíblia, e a Lectio Divina nos possibilita essa oportunidade de alimentar a amizade com Deus através das Escrituras.

 

Mas o que significa Lectio Divina?

 

O termo ‘Lectio Divina’ significa leitura divina. Como nossa fonte é a Palavra de Deus, então é a leitura orante das Sagradas Escrituras.

Assim, esse método é tão antigo quanto a Igreja. Desde os evangelhos, que a prática da leitura da Palavra de Deus se tornou constante para fazer memória da vida de Cristo e lembrar sua presença entre nós.

Mas foi Orígenes (séc.III) quem batizou a Lectio Divina com este belo nome; ela espalhou-se no séc. IV e V, como uma forma predominante de ler a Bíblia; e foi o método de interpretação bíblica que prevaleceu no tempo de São Bento.

Agora, Guigo II, abade da Grande Cartucha, por volta de 1150, deixou uma apresentação orgânica da Lectio Divina, com o longo título: “Escada de Jacob – Tratado sobre o modo de orar, escada dos monges e escada do Paraíso”. 

De forma que até hoje a Lectio Divina é conhecida como uma escada para o céu alcançada através dos degraus que são as etapas do método de oração.

Hoje, a Leitura orante é uma experiência de oração com a Palavra de Deus bem alicerçada e acessível a todo povo de Deus, principalmente depois do Concílio Vaticano II.

Veja aqui 5 conselhos bíblicos para encontrar amizades verdadeiras

 

Etapas da leitura orante

 

A Lectio Divina, como todo método, possui uma pedagogia própria a ser seguida. Mas não é nada engessado, ao contrário, cada passo é interdependente e flui tranquilamente à medida que vai acontecendo.

Apesar da didática, ela é um movimento espiritual que utiliza a razão e a fé ao mesmo tempo, sem hierarquia; como também sem exigência de conhecimento teológico ou filosófico, mas é a leitura espiritual da Palavra de Deus.

A fim de que aconteça em comunhão com Deus, antecede a lectio a oração ao Espírito Santo, que pode ser breve, rezada espontaneamente ou basta alguma sugestão dada pela Igreja.  

 

A Lectio Divina é composta por quatro etapas:

 

  1. A leitura: esse é o primeiro passo; é a porta de entrada. Você escolhe um texto, de preferência do Novo Testamento e lê pelo menos três vezes, observando a cena, os personagens, o contexto histórico, as imagens, as intenções e tudo que sua imaginação possibilita. E se pergunta: o que o texto diz? E a cada leitura, tem uma nova descoberta, e a luz do Espírito Santo se encarrega de ajudá-lo a fazer pontes entre a Palavra e sua vida.
  2. A meditação: A passagem para a meditação acontece quando passamos a associar a Palavra lida com a vida pessoal. É quando as Escrituras falam para nós, em nossa vida e atualiza a Palavra, que se torna viva e atuante. E então me pergunto: o que o texto me diz? Então dialogamos com o texto; fazemos perguntas; encontramos respostas e logo passamos para outra etapa.
  3. Oração: Já nos perguntamos o que diz o texto, o que ele nos fala, e a oração é o que eu digo diante da Palavra de Deus. Logo, a oração brota de diversas formas: como um louvor, uma súplica, uma intercessão, adoração, enfim. Portanto, a oração é a nossa resposta à Palavra acolhida.
  4. Contemplação: Esse é o ponto de chegada da Lectio Divina. É a hora do silêncio, do descanso, da contemplação, ou seja, da admiração da obra de Deus. Não significa êxtase, mas reconhecimento de que tudo é dom divino. É o momento do envio, de partir para a vida com novas motivações concedidas por Deus.

 

A amizade com a Palavra de Deus

 

Diz Santo Efrém:

“A tua palavra apresenta muitos aspectos diversos, como diversas são as perspectivas daqueles que a estudam.” 

Agora que aprendemos o método, vamos praticá-lo. Com certeza, Deus nos espera para começarmos uma bela amizade, sem falar que somos surpreendidos com as respostas que a Palavra de Deus nos concede hoje, porque ela é sempre um socorro para o ‘agora’ de nossas vidas.

Além de que a Igreja é uma mãe que se preocupa com a educação de seus filhos. Assim, temos também o Mês de setembro para homenagear a Palavra de Deus e torná-la nossa aliada na busca do conhecimento de Cristo.

 

Aprenda o passo a passo para crescer na oração

Últimos adicionados

Por que Maria é chamada Esposa do Espírito Santo?

Pentecostes e o Carisma Palotino