Nos Acompanhe !

A Divina Misericórdia é o jeito de Deus ser. Ele é misericórdia e deu provas disso pela entrega total de Seu Filho por amor a cada um de nós.

A palavra misericórdia vem do latim e miserere – ter compaixão – e cordis – coração. Ou seja, “ter compaixão do coração”. E quem faria isso de forma tão pura, sem olhar os defeitos ou contradições do ser humano? Apenas quem é compassivo por natureza.

E todas essas características se reúnem na Festa da Divina Misericórdia, comemorada no segundo domingo da Páscoa, a pedido do Senhor a uma freira polonesa chamada Faustina.

Vamos, então, mergulhar nesse amor de misericórdia e viver os sentimentos de Cristo, que tem compaixão da miséria humana em todo o tempo e lugar.

 

Como surgiu a devoção à Divina Misericórdia

 

Para entender a origem da Festa da Divina Misericórdia é preciso ir à Polônia, em 22 de fevereiro

de 1931, visitar a irmã Faustina. Neste dia, ela teve uma experiência com Jesus Misericordioso, no seu quarto.

Segundo a freira, Jesus deu-lhe a visão Dele em pé, com a túnica branca entreaberta na altura do coração, e de seu coração emanava feixes de luz vermelho e branco. Entre os anos de 1930 e 1938, foram inúmeras visões de Jesus, todas registradas em um Diário a pedido do seu diretor espiritual e do próprio Jesus.

E são muitas promessas reveladas à Santa Faustina pelo Mestre no desejo ardente de atrair almas à sua Misericórdia. Entre elas, Jesus disse:

“Nenhuma alma terá justificação enquanto não se dirigir com confiança à Minha misericórdia. E é por isso que o primeiro domingo depois da Páscoa deve ser a Festa da Misericórdia. Nesse dia, os sacerdotes devem falar às almas desta Minha grande e insondável misericórdia” (Diário, 570).

É importante saber que a misericórdia sempre existiu como uma qualidade divina. Mas como Deus não cansa de amar, resolveu escolher mais uma serva para proclamar essa graça e dar à humanidade mais uma oportunidade de salvação.

 

Imagem da Divina Misericórdia

 

A imagem da Divina Misericórdia é realmente surpreendente. Jesus fez esse pedido especial a Santa Faustina: “Pinta uma Imagem de acordo com o modelo que estás vendo, com a inscrição: Jesus, eu confio em Vós” (Diário, 47). Qual o significado dos sinais?

  • Os dois raios representam o Sangue e a Água: o raio pálido significa a Água que justifica as almas; o raio vermelho significa o Sangue que é a vida das almas. 
  • Os dois raios jorraram das entranhas da Minha misericórdia, quando na Cruz, o Meu Coração agonizante foi aberto pela lança” (Diário, 299).
  • “O Meu olhar, nesta Imagem, é o mesmo que eu tinha na cruz” (Diário, 326).
  • A cor branca da veste de Cristo simboliza a pureza e a glória celestes, por sua vez, a inscrição: “Jesus, eu confio em Vós” faz parte da imagem, o que Jesus recorda expressamente à Santa Faustina (Diário, 327).

Jesus disse: “Por meio desta Imagem concederei muitas graças (…). Ela deve lembrar as exigências da Minha misericórdia, porque mesmo a fé mais forte de nada serve sem as obras” (Diário, 742).

Além das promessas: a salvação eterna; a graça de uma morte tranquila; grandes progressos no caminho da perfeição cristã; e outras graças que estejam de acordo com a vontade de Deus, para quem rezar com devoção as orações recomendadas.

 

A Festa da Misericórdia

 

Após as revelações de Jesus à santa, iniciou-se a devoção à Divina Misericórdia através das pessoas, dos milagres e graças alcançadas. Mas foi no ano 2000 que João Paulo II oficializou e instituiu o Domingo da Divina Misericórdia, junto com a canonização da Santa.

Veja as promessas para esse dia: 

  • “Desejo que a Festa da Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores” (Diário, 699).
  • “Alcançará o perdão total das faltas e dos castigos aquele que, nesse dia, se aproximar da Fonte da Vida” (Diário, 300). 
  • “Neste dia, estão abertas as entranhas da Minha misericórdia. Derramo todo um mar de graças sobre as almas que se aproximam da fonte da Minha misericórdia” (Diário, 699).

A Festa da Divina Misericórdia é uma fonte inesgotável de graças principalmente para as pessoas mais afastadas. Por isso, é o momento de rezar pela salvação de muitas pessoas e alcançar milagres e conversão. No entanto, é preciso confiar em Deus e se entregar.

Além de buscar a confissão, a comunhão e rezar pelas intenções do Santo Padre, a fim de alcançar também a indulgência plenária.

 

Práticas da Devoção a Divina Misericórdia

 

São muitas bênçãos reservadas para os fiéis que se aproximarem da Divina Misericórdia. Mas será que essas promessas são apenas para um dia do ano? Jamais, porque a misericórdia não se limita, mas ela jorra constantemente, basta que a busquemos.

E quais são as práticas desta devoção? Vamos conhecer algumas e praticá-las.

  • Novena à Divina Misericórdia

“Desejo que, durante estes nove dias, conduzas as almas à fonte da Minha misericórdia, a fim de que recebam força, alívio e todas as graças de que necessitam” (Diário, 1209). 

“Através desta novena concederei às almas toda espécie de graças” (Diário, 796)

Faça a experiência com esta oração qualquer mês do ano.

  • Terço da Misericórdia

“Pela recitação desse Terço, agrada-me dar tudo o que me pedem (…) se estiver de acordo com a Minha vontade” (Diário, 1541 e 1731). 

“As almas que rezarem este Terço serão envolvidas pela Minha misericórdia, durante a sua vida” (Diário, 754).

“Defendo toda alma que recitar esse Terço na hora da morte, como se fosse a Minha própria glória, ou quando outros o recitarem junto a um agonizante, eles conseguirão a mesma indulgência” (Diário, 811).

Indicado, de preferência, às 15h e rezado pelos agonizantes, pelas almas do purgatório e pela salvação das almas. 

  • Hora da Misericórdia

Em 1937, Jesus falou a Santa Faustina que desejava a veneração da Hora da Sua morte, que é a Hora da Misericórdia. Ele assim se expressou: 

“Todas as vezes que ouvires o relógio bater três horas da tarde, deves mergulhar toda na Minha misericórdia, adorando-a e glorificando-a. Implora a onipotência dela em favor do mundo inteiro (…) porque nesse momento [a misericórdia] foi largamente aberta para toda a alma” (Diário, 1572).

Ele ainda falou:

“Nessa hora conseguirás tudo para ti e para os outros. Nessa hora realizou-se a graça para o mundo inteiro: a misericórdia venceu a justiça” (Diário, 1572).

Jesus também indicou algumas maneiras com as quais devemos venerar a Hora da Misericórdia (cf. Diário, 1572): 

  • Rezar a via-sacra, meditando a Paixão de Jesus.
  • Adorar o Coração Misericordioso de Jesus no Santíssimo Sacramento ou recolher-se em oração onde estiver, ainda que por um breve momento.

 

Agora, corramos a esse Coração Aberto

 

Com tantas promessas, podemos nos entregar confiantes, porque Ele nos espera. E sem dúvida, há inúmeros motivos para corremos ao seu encontro, uma vez que há muitos desencontros na vida que nos causam tristeza, mas Deus nos espera a qualquer momento.

Portanto, que seja o primeiro de muitos momentos de misericórdia em sua vida. E desde já, alimente sua alma rezando repetidas vezes: Jesus, eu confio em Vós e praticando a caridade fraterna que alegra o Coração de Deus.

 

Conheça este testemunho: Elisabetta Sanna, uma beata palotina

Últimos adicionados

Pentecostes e o Carisma Palotino

Como a maternidade de Maria a tornou Rainha dos Apóstolos