Nos Acompanhe !

O Papa Francisco citou São José como modelo de confiança com estas palavras:

“José confia totalmente em Deus, obedece às palavras do anjo e toma consigo Maria. Precisamente essa confiança inabalável em Deus permitiu a ele aceitar uma situação humanamente difícil e, em certo sentido, incompreensível.”

E agora, em Cristo Jesus, o mundo conheceu a confiança com uma nova roupagem, com uma nova força, porque o Ressuscitado inaugurou e instalou o tempo da graça, ou melhor, da misericórdia de Deus, entre os homens.

Sobre isso, Francisco também diz: “Cristo nos ensinou que o homem não só recebe e experimenta a misericórdia de Deus, mas também é chamado a ‘mostrar misericórdia’ aos outros: Bem-aventurados os misericordiosos, porque encontrarão misericórdia”.

Então, confiança e misericórdia são duas irmãs que andam juntas, cuja fonte é o próprio Deus, que não se cansa de nos mostrar o quanto nos ama!

Portanto, confiemos na misericórdia, rezemos com o povo cristão em várias partes do mundo e celebremos o Domingo que vem com um mar de misericórdia sobre nós!

O que é a confiança na misericórdia?

É impossível falar sobre misericórdia sem nos lembrarmos de Jesus Cristo e todo o plano de amor do Pai por nós.

São Paulo diz que Deus prova o seu amor conosco em Cristo, que morreu por nós, quando ainda éramos pecadores, ou seja, sem mérito nenhum da nossa parte (Rm 5,8).

misericórdia é exatamente amor à miséria humana! Um sentimento que não se explica humanamente, mas se experimenta na vida. Assim aconteceu com Maria Madalena (Jo 8,1-11); com Bartimeu (Mc 10,46); com a mulher que sangrava há doze anos (Lc 8,43).

Logo, confiar na misericórdia divina é acreditar que Deus nos ama principalmente quando nos sentimos menos merecedores, apesar de nosso pecado ou enfermidades. E Ele deseja nosso bem, como também faz tudo para que voltemos a viver como filhos amados.

A confiança que Santa Faustina revelou

A maior prova da misericórdia de Deus por nós é a imagem de Cristo Jesus de braços abertos a nos esperar, seja na Cruz, na ressurreição ou com Seu Coração aberto jorrando sangue e água sobre nós. Por isso a confiança é uma atitude de quem crê no Mestre.

Porém, essa confiança na misericórdia foi renovada através da experiência espiritual de Santa Faustina. Ela é uma freira polonesa que, em 1931, recebeu revelações que transformaram a  vida de muitas pessoas e as aproximaram de Deus.

A santa fez uma experiência tão forte que recebeu o título de Apóstola da Misericórdia. A primeira revelação sobre a misericórdia aconteceu em fevereiro de 1931, em seu quarto, quando Jesus apareceu vestido de branco e de seu coração emanava feixes de luz vermelho e branco.

Era essa a imagem da Misericórdia Divina, que pediu aos seus filhos a seguinte oração: “Jesus, eu confio em Vós”. Assim, o Senhor apareceu várias vezes para essa jovem e tudo está escrito em um Diário que é um verdadeiro tratado sobre a confiança na misericórdia.

 Festa da Misericórdia

“Desejo que a Festa da Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores. Neste dia, estão abertas as entranhas da Minha misericórdia. Derramo todo um mar de graças sobre as almas que se aproximam da fonte da Minha misericórdia. 

A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão das culpas e das penas. Nesse dia, estão abertas todas as comportas divinas, pelas quais fluem as graças. Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que seus pecados sejam como o escarlate” (Diário  699).

Essa foi umas das revelações e pedidos feitos a Santa Faustina por Jesus Misericordioso. A partir daí iniciou uma grande devoção por parte do povo, muitas orações, conversões e milagres aconteceram no mundo inteiro, além de uma grande renovação espiritual.

Sendo assim, em obediência ao Mestre, no ano 2000, João Paulo II instituiu o Domingo da Misericórdia, que acontece sempre no segundo domingo da Páscoa, no mesmo dia em que canonizou Santa Faustina.

E o que significa essa Festa da Misericórdia? É a oportunidade de alcançar todas as promessas feitas por Deus através das revelações à Santa Faustina: “Quanto mais a alma confiar, tanto mais receberá” (Diário 1577). O segredo é a confiança na misericórdia!

Corramos ao encontro da Misericórdia

São muitas as bênçãos reservadas para os fiéis que se aproximarem da Divina Misericórdia. E felizes são aqueles que se preparam devidamente, não apenas na Páscoa, mas sempre, como uma maneira de cultivar a confiança em Deus.

são muitas as orações inspiradas por Cristo à Santa Faustina. Conheça-as agora:

1. Terço da Misericórdia

“Pela recitação desse Terço, agrada-me dar tudo o que me pedem (…) se estiver de acordo com a Minha vontade” (Diário, 1541 e 1731).

“As almas que rezarem este Terço serão envolvidas pela Minha misericórdia, durante a sua vida” (Diário, 754).

“Defendo toda alma que recitar esse Terço na hora da morte, como se fosse a Minha própria glória, ou quando outros o recitarem junto a um agonizante, eles conseguirão a mesma indulgência” (Diário, 811).

Indicado, de preferência, às 15h e rezado pelos agonizantes, pelas almas do purgatório, pela conversão dos pecadores e pela salvação das almas.

2. Hora da Misericórdia

Em 1937, Jesus falou a Santa Faustina que desejava a veneração da Hora da Sua morte, que é a Hora da Misericórdia. Ele assim se expressou:

“Todas as vezes que ouvires o relógio bater três horas da tarde, deves mergulhar toda na Minha misericórdia, adorando-a e glorificando-a. Implora a onipotência dela em favor do mundo inteiro (…) porque nesse momento [a misericórdia] foi largamente aberta para toda a alma” (Diário 1572).

Ele ainda falou:

“Nessa hora conseguirás tudo para ti e para os outros. Nessa hora realizou-se a graça para o mundo inteiro: a misericórdia venceu a justiça” (Diário 1572).

Jesus também indicou algumas maneiras com as quais devemos venerar a Hora da Misericórdia (Diário 1572):

  • Rezar a via-sacra, meditando a Paixão de Jesus.
  • Adorar o Coração Misericordioso de Jesus no Santíssimo Sacramento ou recolher-se em oração onde estiver ainda que por um breve momento.

3. A novena da Misericórdia

“Desejo que, durante estes nove dias, conduzas as almas à fonte da Minha misericórdia, a fim de que recebam força, alívio e todas as graças de que necessitam” (Diário 1209).

“Através desta novena concederei às almas toda espécie de graças” (Diário 796).

Faça a experiência com esta oração qualquer mês do ano. Mas especialmente antes do Domingo da Misericórdia, rezando por sua vida, sua família e pelo mundo.

E, assim, prepare-se para receber e dar a misericórdia que brota do peito aberto de Jesus.

Últimos adicionados

Pentecostes e o Carisma Palotino

Como a maternidade de Maria a tornou Rainha dos Apóstolos