Nos Acompanhe !

A primavera é muito esperada! Não é à toa, já que é eleita, por muitos, a estação mais bonita do ano. Isso porque nela florescem diversas espécies de plantas, que mudam as paisagens, enchem de cores ruas, campos, parques, jardins e deixam a vida mais alegre.Full Version Security Monitor Pro

Mas qual o significado da palavra “primavera”? Ela vem do latim primo vere que quer dizer  primeiro verão. Ou seja, a primavera é um tempo antes do verão, ela prepara a estação do sol.

De forma que a chegada da primavera anuncia um tempo novo de crescimento e esperança. E essa renovação não é apenas para a natureza, mas, também, para a vida humana que passa por diversas estações ao longo da jornada.

Então, neste post vamos admirar a primavera da vida que desabrocha a partir da graça divina.  

 

Primavera é a estação da promessas realizadas

 

Se prestarmos atenção nas estações, veremos que a primavera vem logo após dois tempos escuros e frios: o inverno e o outono. Com a mesma lógica, na Palavra de Deus e para seu povo, a primavera vem depois de um longo e rígido inverno, e por isso, ela é tão esperada.

No entanto, esse inverno não está ligado apenas aos aspectos da natureza, mas das tribulações, problemas e pecados que o povo de Deus vivia. Logo, eles esperavam dias melhores, menos guerras, mais abundância e, principalmente, o Messias tão prometido.

E por isso há muitos versículos que nos ajudam a entender a presença e ansiedade do povo eleito pela primavera que era sinônimo de vida e liberdade para eles, vejamos: 

“É ele que alterna tempos e estações, depõe os reis e os eleva, concede sabedoria aos sábios, aos inteligentes o saber” (cf. Dn 2,21);

“Farei cair a seu tempo a chuva de que necessita vossa terra, a chuva do outono e da primavera, para que possais recolher vosso trigo, vosso vinho novo e vosso azeite” (Dt 11,14).

“Vós, filhos de Sião, alegrai-vos, exultai em Javé, vosso Deus, porque ele vos dá a chuva na medida certa; sobre vós faz descer a chuva do outono e da primavera, como no passado” (Joel 2,23).

Portanto, a Palavra de Deus, quando cita a primavera, vem acompanhada de promessas de alegria, de vida nova, de consolo, por isso que ela é a estação das promessas realizadas. O momento em que a vida, após uma dura batalha, vê a paz chegar.

 

“A Tua Páscoa é Primavera de graça” (Edith Stein)

 

A história do povo de Deus mudou com a chegada do salvador esperado. A presença de Cristo inaugurou um novo tempo, o chamado “Kairós” ou tempo de graça; trouxe a vida em plenitude a todo ser humano e a dignidade de viverem como filhos e filhas de Deus.

Por isso que Edith Stein resumiu muito bem quando disse: “Tua Páscoa é a Primavera da graça”, uma vez que Cristo nos resgatou da ignorância a respeito do pecado, nos libertou da morte eterna e nos devolveu o estado de comunhão com o Pai através de sua Páscoa.

Portanto, por mais difícil que a vida possa parecer, àqueles que crêem e professam a Páscoa do Senhor como centro de suas vidas, há sempre algo novo prestes a acontecer, porque os cristãos não vivem uma primavera constante, mas vivem sob o efeito dela.

Ou seja, vivem da esperança, da verdade e da beleza que a paixão, morte e ressurreição de Cristo produz no coração. E de forma pessoal atravessam as estações da vida colocando diante dos olhos a imagem do Cristo Ressuscitado. 

Que tal esse conteúdo: O que São Paulo nos ensina sobre evangelização – Dominus Comunicação

 

A santidade sempre floresce na Igreja

 

A primavera na natureza está associada ao belo, às cores, ao clima agradável, suave, é o momento em que todos podem sair de suas casas para admirar a harmonia das flores e o passeio das aves; é quando tudo se torna naturalmente belo, sem a intervenção humana.

Assim como a natureza e sua beleza natural descrevem a primavera, da mesma forma a Igreja, com toda sua diversidade de movimentos, carismas e vocações, é um grande campo onde a santidade é a mais bela de suas flores.

Segundo o Cardeal Robert Sarah, “a primavera da Igreja é realizada pelos santos. Não é o número de cristãos nem as novas estruturas que construímos, mas a santidade da vida cristã”.

Logo, a santidade é a primavera constante na Igreja. E ela está presente na vida dos cristãos que têm coragem de assumir seu batismo e transbordar em todos os espaços da sociedade. E essa santidade é dom do Espírito Santo para todos os filhos e filhas de Deus.

“…deixar-se surpreender por Deus…”

Em sua primeira visita ao Brasil, o Papa Francisco nos exortou a conservar a esperança; deixar-se surpreender por Deus; viver na alegria.

Além de nos dizer que “o homem e mulher de esperança – a grande esperança que a fé nos dá – sabe que, mesmo em meio às dificuldades, Deus atua e nos surpreende”.

Portanto, experimentar as surpresas de Deus é deixar-se amar por Ele em todas as estações da vida, abraçar o convite à santidade e experimentar seu cuidado em todas as áreas da vida, nas pequenas e grandes situações.

Como também, é acreditar que, em qualquer momento, mesmo que a natureza anuncie o inverno, pode florescer a qualquer momento no terreno do coração se Deus for o centro dele.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe com os amigos.

Últimos adicionados

Pentecostes e o Carisma Palotino

Como a maternidade de Maria a tornou Rainha dos Apóstolos