Nos Acompanhe !

Antes de mais nada, os santos Francisco e Jacinta Marto são celebrados dia 20 de fevereiro no calendário da Igreja. A vida deles está ligada às aparições de Nossa Senhora em Fátima, em 1917, por isso ficaram conhecidos como os pastorinhos de Fátima.

Logo, a vida dos videntes de Fátima não foi fácil, eles passaram por muitas provações por causa das aparições. Mas foram consolados por Deus e pela Virgem Maria e suas vidas são modelos de virtude para toda a Igreja. 

Inclusive, o milagre que deu causa da canonização dos dois aconteceu no Brasil, em 2013. Agora, conheça esta bela história e divulgue a vida virtuosa das crianças santas.

 

Os irmãos Francisco e Jacinta Marto

 

Antes de mais nada, os pastorinhos são naturais de Aljustrel, Fátima (Portugal); de uma família de sete filhos, cujos pais são Manuel Pedro Marto e Olímpia de Jesus. Francisco, nascido dia 11 de junho de 1908; e Jacinta, em 5 de março de 1910.

As duas crianças eram de família simples, mas temente a Deus e praticantes da fé católica. Prova disso, é que foram batizados recém nascidos, o que mostra o quanto a família valorizava a tradição cristã.

Além disso, Francisco e Jacinta Marto eram primos de Lúcia que também estava presente nas aparições da Virgem em Fátima

Essas crianças foram pequenos pastores e ficaram conhecidos para sempre por serem “os Três Pastorinhos” bem como “os Videntes de Fátima” a quem Nossa Senhora do Rosário apareceu por seis vezes em 1917, há mais de 100 anos.

 

Quem foi Francisco e Jacinta Marto

 

Jacinta Marto era uma criança alegre e carinhosa. Nas aparições, ela via e ouvia, mas não falava com a Virgem, segundo contou a prima Lúcia. Assim, ela compadeceu-se dos sofrimentos dos pecados que padeciam no inferno, como pôde ver na aparição de 13 de julho de 1917.

Em reparação, Jacinta dedicou-se à oração intensa e ofereceu sacrifícios pela salvação das almas, como pediu a Virgem Maria. E durante a vida, teve várias aparições de Nossa Senhora e uma profunda devoção ao Seu Imaculado Coração.

Já Francisco era passivo e sereno. Recebeu a graça de apenas ver a Virgem. Mas sua vida transformou-se totalmente. Ele passou a dedicar-se à contemplação e à adoração. Gostava de ficar com “Jesus escondido” no sacrário, como dizia.

Então ele fez o propósito de consolar o Coração de Jesus, pois queria dar alegria a um Deus que estava triste com os agravos ao Seu coração. Para isso, passava horas seguidas em oração em frente ao sacrário, na Igreja Paroquial de Fátima.

 

A Virgem aparece para os pastorinhos

 

As três crianças sempre costumavam pastorear ovelhas em um pequeno local chamado Cova da Iria, perto de Fátima, no centro do país. 

Em 1916, Francisco, aos 8 anos, e Jacinta, aos 6 anos, além de sua prima Lúcia, viram três vezes um anjo. Em 1917, foram seis aparições da Santíssima Virgem, que os chamava a rezar e a fazer penitência pela conversão dos pecados da humanidade, sendo esse o grande apelo de Fátima!

Assim, na aparição de 13 de maio, Nossa Senhora os perguntou:

“Quereis oferecer-vos a Deus?”.

Com sua prima Lúcia, responderam: “Sim, queremos”. A partir daí a vida deles muda por completo, numa entrega total a Deus e aos seus desígnios. 

Assim, Francisco e Jacinta Marto responderam com suas vidas ao convite da Virgem Maria; tinham uma só aspiração: rezar e sofrer, de acordo com os pedidos do anjo e da Virgem Maria. 

E suas pequenas vidas se tornaram grandes pela intensidade da confiança em Deus, mas também pela capacidade de suportar os sofrimentos devido à doença que ambos contraíram.

 

“Senhora mais brilhante que o Sol” e canonização dos irmãos

 

Nossa Senhora revelou a Lúcia que seus primos morreriam cedo. Em 1918, Jacinta e seu irmão adoeceram vítimas da gripe espanhola. Em janeiro de 1920, ela é levada para Lisboa, para se tratar no Hospital D. Estefânia. Na noite de 20 de fevereiro, às 22h30, ela morre nos braços da Virgem Maria.

Francisco confessou-se no dia 2 de abril e, no dia 3, recebe a comunhão eucarística, morrendo em 4 de abril. Os restos mortais dos irmãos são trasladados para a Basílica de Nossa Senhora do Rosário, no Santuário de Fátima.

O testemunho da vida de Francisco e Jacinta Marto foi suficiente para que a Igreja Católica os reconhecesse como “duas candeias que Deus acendeu para iluminar a humanidade nas suas horas sombrias e inquietas”, como João Paulo II os chamou, nos registos biográficos. 

Então, em 13 de maio de 2000, o Papa São João Paulo II foi à Fátima, para os beatificar. E 17 anos depois, o Papa Francisco esteve em Fátima, em 13 de maio, no centenário das aparições, e canonizou as duas primeiras crianças não mártires na história da Igreja.

 

O milagre das crianças em favor de uma criança

 

O milagre que deu causa à canonização de Francisco e Jacinta Marto ocorreu no Brasil, no dia 3 de março de 2013. Lucas, de 5 anos, caiu de uma janela de mais de 6 metros de altura, sofreu um traumatismo craniano com perda de tecido cerebral, e foi levado para a UTI, em estado grave. 

Mas a oração das famílias e das Irmãs do Carmelo, de Campo Mourão, no Paraná, pedindo a intercessão de Francisco e Jacinta Marto, resultou na cura total de Lucas, fato que os médicos não conseguem explicar.

No entanto, a vida virtuosa dos pastorinhos de Fátima já era reconhecida pelo mundo. O encontro deles com a Virgem Maria é a prova do amor de Deus pelas crianças e principalmente pelos mais simples e humildes. O exemplo deles enche o mundo de ternura.

 

Oração aos santos Francisco e Jacinta Marto

 

Por fim, rezemos pedindo a intercessão destes santos em favor de nossas vidas:

“Oh Senhor, mesmo sendo crianças, os irmãos Marto aprenderam a santidade de modo exemplar. Eles souberam descobrir a tua grandeza em tão pouco tempo e se entregaram totalmente a ti. Ensina-nos também a viver essa entrega de corpo e alma para que, juntamente com eles, os anjos e a Virgem Maria, possamos cantar vossos louvores, por Cristo Senhor nosso. Amém.” 

Santos Francisco e Jacinta Marto, rogai por nós!

 

Confira esta novidade: Ano Vocacional no Brasil: o que significa e como viver?

 

Últimos adicionados

Pentecostes e o Carisma Palotino

Como a maternidade de Maria a tornou Rainha dos Apóstolos