O que impede uma jovem mulher de consagrar sua vida?

A decisão de consagrar a vida a Deus passa por um caminho vocacional e por uma série de obstáculos. 

Muitas vezes, ouvimos o chamado de Deus para ir além, mas não conseguimos abraçá-lo por uma série de fatores. Ou, até mesmo, não compreendemos muito bem Sua voz. Essa é a situação de várias jovens hoje em dia. Porém, uma caminhada vocacional não é resolvida repentinamente. Por isso, precisamos entender: o que impede uma mulher de consagrar sua vida?

Primeiro, vale lembrar que, de modo geral, há dois tipos de vocação. A primeira é a universal, o convite à santidade e ao amor, para os quais todos fomos criados. Já a segunda é a pessoal, um chamado único do Senhor direcionado especialmente para você.

Em todos os casos, prevalece a nossa liberdade. Ou seja, temos o poder de escolher se queremos seguir aquilo ou não. Contudo, sabendo que o Pai quer o nosso bem mais do que podemos imaginar, compreendemos que abraçar a vocação é o melhor caminho para nossa salvação. 

Por isso, o Papa Francisco afirma que consagrar à vida a Deus é ver “o tesouro que vale mais do que todas as riquezas do mundo”. Portanto, também comenta que é essse seguimento que faz as pessoas deixarem coisas preciosas, como bens e a possibilidade de formar uma família.

“Por que o fizestes? Porque vos apaixonastes por Jesus, n’Ele vistes tudo e, fascinados pelo seu olhar, deixastes o resto. A vida consagrada é esta visão. É ver aquilo que conta na vida. É acolher de braços abertos o dom do Senhor, como fez Simeão”. 

Apesar disso,  a vocação à vida consagrada é vista por muitos como algo ultrapassado, que não vale a pena ser vivido . Assim, muitas jovens têm medo de consagrar-se.

Mas, quais são os motivos para isso?

#1 Falta de maturidade humana 

Nem sempre é consequência da idade, mas, simplesmente, de um crescimento pessoal que ainda precisa acontecer. Um dos primeiros passos para isso é desenvolver virtudes como a caridade e a humildade

Para isso, é possível contar com a ajuda de bons livros e do caminho indicado pelo próprio Cristo: o serviço. Ao tirarmos os olhos de nós mesmas, temos a oportunidade de crescer. 

#2 Incapacidade de renúncia

Para caminhar com Cristo, é preciso deixar muitas coisas para trás. 

“Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me. Pois aquele que quiser salvar a sua vida, a perderá, mas o que perder sua vida por causa de mim, a encontrará” (Mt 16, 24s)

Assim, com a intimidade com Deus e o auxílio da graça divina, é possível superar as barreiras que nos prendem às nossas vontades.

#3 Apegos familiares 

O objetivo de consagrar a vida a Deus é poder dedicar-se exclusivamente a Ele. Logo, assim como acontece em um matrimônio, é preciso deixar a família para unir-se a Cristo.

“Em verdade vos digo, quem tiver deixado casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos, campos, por causa de Mim e do Evangelho, receberá cem vezes mais agora, durante esta vida” (Marcos 10, 29-30).

Isso não quer dizer que a caminhada será fácil, mas que a Providência Divina estará sempre cuidando para que tenhamos o necessário para nossa salvação. 

#4 Falta de conhecimento acerca da vida da Igreja

Provavelmente, você já ouviu falar que só podemos amar aquilo que conhecemos. Por isso, para decidir consagrar sua vida a Deus, é preciso conhecer a Igreja, sua história e variedades de vocações.

Para vencer essa barreira, você pode buscar referências no Catecismo (CIC), no site do Vaticano ou em uma boa catequese. Também é interessante ler sobre a vida dos Santos, que refletem a verdadeira missão da Igreja: amar ao Senhor. 

#5 Falta de vida espiritual

Para abraçar a vocação, é preciso cultivar uma vida espiritual fecunda e unida a Deus. Sem a graça divina, não temos forças para aceitar as exigências do chamado. Para crescer nessa amizade, é essencial frequentar os sacramentos, rezar diariamente e meditar sobre a Palavra de Deus.

#6 Feridas e traumas psicológicos

Alguns acontecimentos podem nos deixar marcas profundas. Por isso, para seguir em frente, é preciso lidar com essas questões. A vida de oração e a direção espiritual são fundamentais. Porém, por vezes, também pode ser necessário buscar ajuda profissional e fazer algum tratamento terapêutico.

#7 Problemas financeiros

Muitas vezes, uma pessoa precisa assumir a responsabilidade financeira de um lar e, pelo compromisso com os outros, não pode consagrar-se. Esse é um ato honrável, no entanto, se você compreende que aquela é a sua vocação, é preciso conversar com os demais para buscar formas de melhorar essa situação

Também vale a pena pedir que a Providência Divina aja, para que você possa seguir a vontade do Pai.

#8 Doenças incapacitantes

Pelos relatos de pessoas consagradas, percebemos o quanto a vocação pode ser exigente, sejam pelas horas dedicadas à oração, contemplação, ao serviço ou aos atos de caridade.

Apesar disso, homens como Camilo de Lellis e José de Anchieta, que tinham problemas de saúde, conseguiram alcançar a santidade vivendo esse chamado.

Sendo assim, é preciso analisar cada caso. Com a ajuda de um diretor espiritual, você poderá compreender se aquela doença é, de fato, um impedimento.

#9 Impedimentos jurídicos e eclesiais

Fora todos esses motivos, existem os impedimentos listados pela Igreja. Por exemplo, uma pessoa, cujo estado atual é de casada, não pode viver uma vida consagrada, pois estaria deixando de lado o compromisso.

Deus te chama a consagrar sua vida a Ele

Para aquelas que desejam abraçar de vez a vocação à vida consagrada, o Papa Francisco dá três conselhos: Sejam

  • Jubilosas, abraçando e testemunhando o chamado com alegria;
  • Corajosas, fazendo sua parte, mas depositando toda a confiança no Pai;
  • Mulheres de comunhão, que buscam constantemente a intimidade com Cristo.

Além disso, as convoca: “despertai o mundo, iluminai-o com o vosso testemunho profético e contracorrente!”.

Comentar

Compartilhar

EnglishPortugueseSpanish