fbpx

 Conheça 5 fatos sobre a história da vocação Palotina

A vocação religiosa já é por si só uma grande riqueza para a Igreja e para o povo. Assim também o carisma e a vocação Palotina trazem uma beleza específica para o mundo.

Chamadas a realizar a mesma missão de Jesus Cristo, apóstolo do Pai, as Irmãs Palotinas vivem, com grande alegria, os votos de pobreza, castidade e obediência.

Dessa maneira assumem a missão de anunciar o evangelho em todos os lugares que Nosso Senhor as chamar. 

As irmãs Palotinas vivem diariamente a  missão deixada por seu fundador, São Vicente Pallotti:

“reavivar a fé e reacender a caridade em todos os membros do povo de Deus e propagá-las em todo o mundo, a fim de que haja o quanto antes um só rebanho e um só Pastor”.

Mas além desses aspectos do carisma, será que você conhece bem a história das Irmãs Palotinas? 

Elencamos 5 fatos sobre a vocação Palotina que você vai gostar muito em descobrir, acompanhe até o final! 

 

#1 A congregação feminina não foi a primeira vocação Palotina

 

São Vicente Pallotti fundou em 1835 uma nova instituição na Igreja composta por alguns sacerdotes, religiosos e leigos, que levava o nome de “Apostolado Católico”. 

Os três primeiros anos para o Apostolado Católico foram de grande expansão, dando origem assim a outras obras e novos projetos. 

Mas, em 1838, uma série de acontecimentos ruins e alguns mal-entendidos quase levaram o novo Instituto a acabar.  Porém, foi graças aos membros do Apostolado Católico, que lutaram muito para defender a obra,  que a missão permaneceu. 

Todavia,  com o passar do tempo, as comunidades fundadas por Pallotti cresceram separadamente. Assim surgiram e destacaram-se as 3 comunidades de vida consagrada: a Sociedade do Apostolado Católico, a Congregação das Irmãs do Apostolado Católico (Irmãs Palotinas)  e a Congregação das Irmãs Missionárias do Apostolado Católico. 

E em 2003, foi oficialmente reconhecida a “União do Apostolado Católico” como associação internacional e pública de fiéis. Nessa associação fazem parte todos os fiéis, também leigos, que vivem o carisma deixado por São Vicente Pallotti.

 

#2 A vocação Palotina nasceu para cuidar de meninas pobres

 

No início, o desejo de Pe. Vicente Pallotti não era fundar uma congregação de vida religiosa.  Mas, com o passar do tempo, o trabalho com as meninas de rua exigiu que houvesse uma casa para acolhê-las. 

Nessa época atuavam os membros do grupo da “União do Apostolado Católico” (UAC), mas que não estavam conseguindo atender integralmente as necessidades desse projeto.  

Com o tempo, e em discernimento, Pe. Vicente Pallotti percebeu a necessidade de mulheres consagradas para acolher e educar as meninas pobres e que eram retiradas das ruas de Roma. 

Assim deu-se início a fundação feminina juntamente com  a aquisição da  “Pia Casa de Caridade” aberta em Roma na festa de Pentecostes do ano 1838

Foi então nessa casa que acolheram as meninas pobres, dando a elas educação, afeto e espiritualidade. Dessa forma também surgiu a primeira missão da Congregação das Irmãs do Apostolado Católico – parte integrante da UAC.

 

#3 O carisma da vocação Palotina é ser e formar apóstolos 

 

Seguindo a maior herança deixada por seu fundador  São Vicente Pallotti, o carisma da congregação é unir todas as forças da Igreja para reavivar a fé e reacender a Caridade de Cristo entre os católicos e propagá-la no mundo inteiro. 

Em outras palavras, a missão palotina é conscientizar cada batizado de sua vocação de apóstolo na Igreja, para que o quanto antes se forme “um só rebanho e um só pastor” (Cf. Jo 10,17). 

Assim todo leigo católico deve, também, abraçar o chamado de propagar o evangelho e o amor de Cristo. 

A preocupação de São Vicente Pallotti era a de demonstrar que o apostolado Católico é universal para todos, e por essa razão todo cristão é um apóstolo:

 “Portanto, todos: grandes e pequenos, nobres e plebeus, soberanos, sacerdotes e leigos  podem em sua posição exercer o apostolado de Jesus Cristo”. (São Vicente Pallotti)

 

#4 A primeira obra Palotina no Brasil foi uma escola

 

Em 1933 as Irmãs Palotina chegaram ao Brasil a convite da colônia italiana que morava em Dona Francisca – RS.  

Com o desejo de promover a educação de crianças e jovens descendentes dos italianos, construíram a primeira escola no local.   

Como o projeto foi muito bem sucedido, as irmãs começaram a receber diversos convites pastorais para vários estados do Brasil.  

Os trabalhos pastorais das irmãs expandiram-se nas mais diversas áreas:  educacional, cultural, social e missionária. 

Dessa maneira a missão das Irmãs Palotinas espalhou-se por todo o Brasil. 

 

#5 Congregação hoje é dividida em 5 províncias 

 

Atualmente a família das irmãs Palotinas está dividida em 5 províncias espalhadas pelo mundo. 

Na Itália fica a província Rainha dos Apóstolos, atualmente com 106 irmãs; Nos Estados Unidos a província da Imaculada Conceição que tem 16 irmãs; E a mais recente na Índia, chamada de Sagrada Família, onde moram 126 irmãs. 

No Brasil permanecem duas: a São Vicente Pallotti com sede na cidade de São Paulo, onde moram atualmente 56 irmãs e a província Nossa Senhora Aparecida com sede em Porto Alegre onde residem 57 irmãs.   

Quando as primeiras irmãs Palotinas chegaram ao Brasil, essas duas províncias eram apenas uma que permanecia com sede no Rio Grande Do Sul. Mas, com o passar dos anos, o trabalho das irmãs expandiu-se muito, criando assim a necessidade de dividi-las para melhor administração das províncias. 

Atualmente existem pelo mundo aproximadamente 360 irmãs Palotinas. 

Em missão no Brasil, a Congregação das Irmãs do Apostolado Católico está presente em 09 estados: Pará, Tocantins, Bahia, Mato Grosso Do Sul, Goiás, Rio De Janeiro,  São Paulo, Paraná e Rio Grande Do Sul.

 

Ser Palotina é ser uma resposta de amor

 

E então, você já conhecia todos esses fatos sobre a história das irmãs Palotinas?  

Depois disso,  se você deseja ser também a resposta para o mundo, como apóstola de Cristo e viver o carisma que São Vicente Pallotti deixou no mundo, conheça a missão das irmãs Palotinas mais de perto!

Assim como motivou-nos São Vicente Pallotti:

“O espírito de todos os membros da nossa Sociedade encontram sempre novo ardor no amor que Cristo trouxe sobre a terra, na pessoa de Jesus, Apóstolo do Eterno Pai. Ele manifestou que Deus é Amor Infinito e chama o homem, criado à sua imagem e regenerado de novo na graça com a sua morte, a doar-se sem reservas a Deus e ao próximo, cooperando na salvação do mundo”.

 

Se você também deseja ser uma cooperadora nessa missão, entre em contato com Serviço Vocacional e descubra a alegria de ser uma Irmã do Apostolado Católico.

Comentar

Compartilhar

EnglishPortugueseSpanish