fbpx

O que São João Paulo II diz sobre evangelização

São João Paulo II é um exemplo de evangelizador missionário. Afinal de contas, não é à toa que recebeu o título de Papa Peregrino. O polonês viajou para 129 países e percorreu 1,2 milhões de quilômetros. Sempre levando a santidade para mais pessoas e apresentando a Palavra de Deus em todos os cantos.

Na encíclica Redemptoris Missio, publicada em 1990, São João Paulo cita Coríntios (9,16) ao dizer que evangelizar é nossa obrigação, e que não devemos nos gloriar por isso.

Na mesma encíclica, o Papa fala sobre sua dedicação constante à evangelização.  “Desde o início do meu pontificado, decidi caminhar até aos confins da terra para manifestar esta solicitude missionária, e este ‘contacto direto’ com os povos, que ignoram Cristo, convenceu-me ainda mais da urgência de tal ‘atividade’.”

A missão compete a todos os cristãos

 

Na encíclica Evangelium Vitae, de 1995, São João Paulo II diz que todos nós somos enviados por Deus para anunciar o seu Evangelho. Foi nos dada essa graça de apresentar a Palavra de Deus aos irmãos e de testemunhar a fé e a vida cristã.

Recebemos o Evangelho da vida e por meio dele fomos transformados e salvos. E, portanto, também recebemos a missão de sermos proclamadores da verdade para todas as nações. “Vós sois o povo adquirido por Deus, para proclamardes as suas obras maravilhosas.” (1 Ped 2, 9)

A evangelização é uma ação global e dinâmica que engloba anúncio, celebração e serviço da caridade.

“É um ‘ato’ profundamente eclesial, que compromete todos os operários do Evangelho, cada um segundo os seus carismas e o próprio ministério”, afirma São João Paulo II, no documento.

 

Não desanime diante das dificuldades

 

São João Paulo II fala sobre a importância de não permitir que as dificuldades internas e externas nos deixem pessimistas e desanimados. Talvez as dificuldades pareçam insuperáveis.

“Em alguns países, está proibida a entrada de missionários; noutros, é proibida tanto a evangelização, como a conversão e até mesmo o culto cristão”, cita o Santo na Encíclica de 1990.

“Há outros lugares, onde os obstáculos são de natureza cultural: a transmissão da mensagem evangélica mostra-se irrelevante ou incompreensível, e a conversão é considerada como abandono do próprio povo e cultura.”, completa.

Seria realmente desanimador, se fosse uma missão puramente humana. Mas, como o próprio São João nos lembra, não é! Devemos nos apegar à confiança que vem pela fé e lembrar que não somos os protagonistas da missão, mas sim o Espírito Santo.

 

Caminhos para a evangelização

 

São João Paulo II explica ainda na encíclica Redemptoris Missio quais caminhos a Igreja segue para evangelizar.

1- Evangelize por meio do testemunho

De acordo com o papa, o homem é mais fiel à experiência do que a doutrina. Ou seja, a melhor forma de evangelizar é por meio de vivências e experiências.

A própria vida do missionário é fonte de evangelização, assim como a família cristã e a comunidade eclesial.

2 – Aceite o convite ao Batismo e à conversão 

O propósito de anunciar a Palavra de Deus é a conversão cristã, ou seja, a aceitação sincera a Cristo.

Os Apóstolos evangelizavam dessa forma. Convidando as pessoas a mudarem suas vidas. Portanto, por meio da fé o chamavam para a conversão e para o Batismo. Assim, conseguiram cumprir sua missão com muito êxito.

São João Paulo II nos diz que todo convertido é certamente um dom oferecido à Igreja, e igualmente é uma responsabilidade, pois é necessário continuar a sua instrução religiosa. Desse modo, se é adulto traz energia nova, o entusiasmo da fé, o desejo de encontrar na própria Igreja o Evangelho vivido.

“Seria para ele uma desilusão se, entrando na comunidade eclesial, encontrasse aí uma vida sem fervor, privada de sinais de renovação. Não podemos pregar a conversão, se nós mesmos não nos convertermos todos os dias”.

Que possamos levar os ensinamentos de São João Paulo II para toda a vida!

3 – Edifique novas Igrejas 

A meta central é estabelecer comunidades cristãs e construir e fecundar o terreno até que ela possa se tornar uma Igreja. Não se pode entender como verdadeiramente vencida a missão até que isso não seja feito.

Contudo, São João Paulo II deixa claro que trata-se de um longo e exigente trabalho!

A encíclica é encerrada falando sobre a alegria de ser um missionário. “A característica de qualquer vida missionária autêntica é a alegria interior que vem da fé. Num mundo angustiado e oprimido por tantos problemas, que tende ao pessimismo, o proclamador da « Boa Nova » deve ser um homem que encontrou, em Cristo, a verdadeira esperança.”

O texto foi escrito há mais de 30 anos e ainda assim deve ser usado como inspiração para nós, evangelizadores. Por isso, recomendamos a leitura do documento na íntegra.

Por fim, te convido a ler outros conteúdos sobre evangelização no nosso blog.

Comentar

Compartilhar

EnglishPortugueseSpanish