Irmãs Palotinas: Conheça esta linda vocação da Igreja

Fundada por São Vicente Pallotti, a Congregação das Irmãs Palotinas se dedica à caridade no apostolado.

Hoje, mesmo cultivando uma relação com Deus, você sente que falta algo em sua vida?  Em seu coração, arde um amor que a impulsiona a ir além e entregar-se inteiramente a Cristo. No entanto, por outro lado, também existem muitas dúvidas e incertezas. Então, qual caminho seguir para abraçar a Vontade Divina? 

Conhecida como “Irmãs Palotinas”, a Congregação das Irmãs do Apostolado Católico pode ser a resposta.

Ao longo dos séculos, milhares de jovens ouviram o convite para dedicarem totalmente suas vidas a Jesus. Tinham diferentes idades, eram das mais diversas culturas e classes sociais. Porém, partilhavam um ponto em comum: a vocação.

O chamado à vida consagrada é um verdadeiro dom de Deus, concedido de forma especial a algumas mulheres. Exige renúncias, mas também antecipa a realidade que todos seremos chamados a viver nos Céus: a profunda união com o Senhor. 

Leia também:

Como cada mulher possui características diferentes, existem várias formas de viver essa vocação na Igreja. Uma delas é fazer parte das Irmãs Palotinas. Inspirado pelo Espírito Santo, esse carisma está direcionado para o apostolado, o serviço e a missionariedade

Para entendermos a missão desta Congregação, é preciso conhecer um pouco da sua história. 

O fundador da Congregação das Irmãs Palotinas

Nascido em 21 de abril de 1795, em Roma, na Itália, desde pequeno Vicente Palloti demonstrava um grande amor a Deus e ao próximo. Embora sua família tivesse boas condições econômicas, o maior tesouro do lar era a fé.

Quando passava as férias na casa de uma tia, gostava de reunir as crianças da aldeia, para rezarem e comerem. Além disso, doava itens pessoais, como roupas, aos que via passando por necessidades. 

Aos 13 anos, decidiu que seria sacerdote. Tentou entrar para a ordem dos Capuchinhos, mas, por motivos de saúde, não pôde. Então, escolheu seguir no clero diocesano. Por volta dos 16 anos, ingressou para o Colégio Romano e, logo depois, para a Universidade “Sapienza”. 

Aos 23 anos, foi ordenado, como membro do sacerdócio secular. Enquanto crescia nos estudos sobre filosofia e teologia, também se apaixonava pela infinitude de Deus, que vem em auxílio da pequenez humana

Devido ao grande conhecimento que tinha, durante os 10 primeiros anos de sua vida como padre, atuou como professor e reitor na Universidade. Contudo, depois desse tempo, viu que era hora de abraçar de forma mais intensa o chamado a buscar almas para o Pai.

Cresceu no papel de diretor espiritual, sendo um verdadeiro  Pastor de Almas. Ouvindo a voz do Senhor, viu o potencial que os leigos tinham para a evangelização. Assim, em abril de 1835, fundou a Sociedade do Apostolado Católico, que viria a ser a União do Apostolado Católico.

Após muitos anos de incansável serviço e apostolado, São Vicente de Pallotti morreu, em 22 de janeiro de 1850. 

A fundação da Obra feminina de São Vicente Pallotti

Antes de falecer, São Vicente Pallotti fundou a obra feminina, na Pia Casa de Caridade, em Roma, no ano de 1838. Ali, no dia de Pentecostes, surgiram as Irmãs Palotinas, como um grupo de religiosas. 

No entanto, antes disso, em 1837, o fundador já havia começado a escolher as mulheres que formariam o novo instituto. Para isso, buscava aquelas que “tivessem o espírito de Jesus Cristo”.

Inicialmente, a obra contava com seis jovens e três mestras, que seguiam os exercícios espirituais indicados pelo Santo. Embora tenha passado por momentos de dificuldade, sustentada pela graça divina, a Congregação conseguiu superá-los. Em 1843, ganharam um novo fôlego, com a entrada de aspirantes. 

Desde então, as Irmãs Palotinas já marcaram presença em seminários, pastorais, escolas, hospitais e missões. Com a intercessão da Virgem Maria, Rainha dos Apóstolos, buscam seguir o exemplo da vida de Jesus, para serem verdadeiras anunciadoras do Reino de Deus.

Contudo, o que as move?

O carisma e a espiritualidade das Irmãs Palotinas

Concedido de forma especial, para o enriquecimento da Igreja, o carisma é um dom que guia todas as ações dos mais diversos grupos. No caso da Obra feminina de São Vicente Pallotti, o carisma é: “ser e formar apóstolos”.

Ou seja, as mulheres que fazem parte da Congregação são chamadas a reavivar a fé e reacender a caridade de Cristo nos corações de todos. Isso porque o fundador entendia que Deus é infinito amor e misericórdia, então, Seus filhos e seguidores devem imitá-lo.

Logo, assim como Cristo entregou sua vida na Cruz por amor a nós, todas as vocacionadas devem estar dispostas a doar suas vidas ao apostolado. Para ser vivido da melhor forma, o carisma é orientado pela espiritualidade, que se baseia:

  • Na imitação prática e cotidiana de Jesus Cristo;
  • No empenho constante no crescimento da santidade;
  • No infinito como meta de trabalho e das aspirações;
  • Na caridade sincera e humilde;
  • Na família de Nazaré, como modelo para as relações na comunidade e demais atividades;
  • No amor e confiança em Nossa Senhora.

Assim, as irmãs são guiadas pelo Cristo Apóstolo que, como enviado do Pai, assume sua missão de Pastor para reunir o rebanho. 

O serviço apostólico da Congregação

Impelidas pela caridade de Cristo (2Cor 5,14), as Irmãs Palotinas se dedicam a fazer com que Cristo seja amado e conhecido por todos. Entretanto, vão além e se comprometem a amar e servir os irmãos

Por isso, o apostolado da Obra feminina busca, com a graça do Pai, alcançar os lugares mais necessitados. Desse modo, prestam assistência aos jovens, marginalizados, doentes e imigrantes, em diferentes países.

Esse serviço ocorre na educação, com a administração de escolas, por exemplo, e na saúde, com gerenciamento de hospitais e atendimentos aos enfermos e idosos. Também atuam em comunidades e nas pastorais das paróquias, com acompanhamento espiritual e catequese, prestados a crianças, jovens e famílias.

Com essas atividades, proporcionam oportunidades para formar missionárias. Contudo, para ingressar na Congregação, todas as mulheres precisam passar pelo acompanhamento vocacional. Conheça como funciona esse processo.

Caminho de formação para fazer parte da Obra

É difícil assumir um compromisso real e dizer um sim definitivo para algo que não conhecemos direito, não é mesmo? Por isso, para abraçar a vocação de ser uma irmã Palotina, é necessário passar por um plano de formação.

Ao longo desse tempo, são abordados aspectos sobre a dimensão humana, cristã, religiosa e palotina da pessoa. O primeiro acompanhamento é chamado de “Pastoral Vocacional”.  

Feito com o auxílio de uma irmã, pode ocorrer de diferentes formas, com encontros vocacionais online ou presenciais, e não tem uma duração específica. Em seguida, a jovem entra em um processo mais estruturado de discernimento

A busca pela santidade 

A vocação para fazer parte da família Palotina já rendeu muitos frutos para a nossa Igreja. Na Obra feminina, uma das histórias mais conhecidas é a de Elisabetta Sanna. Viúva, mãe e consagrada, participou do início da congregação.

Ainda bebê, ficou com os braços paralisados na altura do peito e só conseguia movimentar os pulsos e dedos. No entanto, isso não foi impedimento para que demonstrasse o zelo pelas coisas de Deus. Na adolescência, dava aulas de catequese, acompanhava as celebrações e reunia amigos para momentos de oração. 

Embora tivesse o desejo de se consagrar ao Senhor, acabou se casando com um bom homem, por obediência à sua família. Com ele, teve sete filhos, dos quais cinco sobreviveram. No entanto, com 18 anos de casada, ficou viúva.

Depois de um tempo e acompanhada por um diretor espiritual, foi parar em Roma, onde conheceu São Vicente Pallotti, que viria a ser seu orientador espiritual. Mesmo com vontade de rever seus filhos, que tinham ficado sob o cuidado de seu irmão, tinha problemas de saúde que não a permitiam fazer isso. 

Sempre dedicada ao serviço aos pobres, doentes e órfãos e ao cuidado com as Irmãs Palotinas, Elisabetta faleceu em 1857. Beatificada em setembro de 2016, a “mãe Sanna”, como era conhecida, é, hoje, exemplo para muitas mulheres que desejam se tornar Irmãs Palotinas.

Como tornar-se vocacionada?

Se, após conhecer nossa história e missão, você se identificou com o apostolado das Irmãs Palotinas, saiba que estamos de portas abertas para acolhê-la. Mesmo que ainda existam dúvidas e incertezas, podemos ajudá-la a discernir qual a Vontade de Deus para sua vida. 

Para isso, contamos com uma Assessoria Vocacional. Com esse acompanhamento, irmãs, que já passaram pelo mesmo processo que você está passando agora, poderão guiá-la na caminhada. 

Se você se sente vocacionada à vida consagrada, hoje, Cristo te convida a doar-se inteiramente a Ele, por meio do serviço aos irmãos e de uma vida de oração fecunda

Venha ser uma Irmã Palotina!

 

Comentar

Compartilhar

EnglishPortugueseSpanish