Missão pessoal e o papel da mulher como filha, esposa e mãe

 

Quando pensamos sobre o papel da mulher, muitas coisas podem vir à nossa mente: maternidade, casamento, filhos, casa, trabalho, igreja. Contudo, talvez ela mesma não tenha total conhecimento da importância que tem em cada função e o que ela representa.

Toda mulher tem uma missão especial, seja dentro da família como filha, esposa e mãe, ou na sociedade como trabalhadora, como alguém que se preocupa e age em favor do próximo. 

Vamos refletir sobre isso?

 

A missão pessoal, seu lugar no mundo 

 

Vivemos num tempo em que a participação da mulher nos diversos setores da sociedade é cada vez maior. Elas estão cada vez mais preparadas para assumir cargos importantes e de liderança, seja no mercado de trabalho, no terceiro setor ou na política.

Mas, qual o papel da mulher quando ela se depara com a função de liderança? Como a mulher cristã deve desempenhar seu papel na sua profissão, seja ela qual for, e na função que for?

A missão pessoal de cada mulher é refletir no mundo o amor de Deus, afinal ela foi criada à Sua imagem e semelhança (cf. Gn 1,27). 

Além disso, como todos os filhos de Deus, a mulher vem ao mundo com uma vocação especial: a vocação ao amor e à santidade!

“Amarás o Senhor, teu Deus, com todo o teu coração, com toda a tua alma e com todo o teu entendimento (…) Amarás teu próximo como a ti mesmo” (Mt 22,34-40).

“Sede santos porque eu Sou santo” (1Pe 1,15-16).

É este primeiro chamado – ao amor e à santidade – que imprime a marca de Deus na mulher cristã.

 

O papel da mulher: filha, esposa e mãe 

 

São João Paulo II afirmou: “A mulher não pode se encontrar a si mesma senão doando amor aos outros” (Mulieris Dignitatem, n° 30).

É imbuído do amor cuja fonte é o Coração do próprio Deus que a mulher deve desempenhar seu papel como filha, mãe ou esposa.

Como filha…

A mulher deve saber ouvir e seguir as instruções e conselhos que recebe de seus pais: “filhos, obedecei a vossos pais segundo o Senhor; porque isso é justo” (Ef 6,1). Afinal, a experiência de vida que têm torna-os capazes de oferecer bons ensinamentos.  A Palavra de Deus ensina que aquele que ouve os conselhos e aceita as instruções tornar-se-á sábio (cf. Provérbios 19,19).

Além disso, o quarto mandamento da Igreja nos orienta a honrar pai e mãe. O Catecismo ressalta que “Deus quis que, depois dele mesmo, honrássemos nossos pais, a quem devemos a vida e que nos transmitiram o conhecimento de Deus. Devemos honrar e respeitar todos aqueles que Deus, para o nosso bem, revestiu de sua autoridade” (CIC 2197). 

Já a Sagrada Escritura nos traz uma promessa: “Honra teu pai e tua mãe, para que sejas feliz e tenhas longa vida sobre a terra” (Ef 6,2-3).

Como mãe…

O principal papel da mulher na maternidade é dar aconchego e  educação aos filhos. Dentro de uma família cristã, não podemos conceber a ideia de uma educação desvinculada dos valores religiosos.

É uma grande responsabilidade a missão de orientar os filhos no caminho do Senhor. A Bíblia Sagrada orienta: “Ensina à criança o caminho que ela deve seguir; mesmo quando envelhecer, dele não há de se afastar” (Provérbios 22,6).

Desempenhar bem e com sabedoria a vocação à maternidade é algo especialmente importante para a família. Uma mãe devota é uma bênção na vida de seus filhos, pois ela é capaz de transmitir-lhes os valores cristãos e de ensiná-los a serem fiéis seguidores de Jesus. 

Mais do que isso, uma zelosa mãe cristã é exemplo para suas filhas, de como, futuramente, deverão desempenhar o mesmo papel.  

“Contudo, ela poderá salvar-se, cumprindo os deveres de mãe, contanto que permaneça com modéstia na fé, na caridade e na santidade” (1Tm 2,15).

Como esposa…

Deus criou a mulher para complementar a figura masculina. “O Senhor Deus disse: “Não é bom que o homem esteja só. Vou dar-lhe uma auxiliar que lhe seja adequada” (Gn 2,18).

O papel da mulher como esposa cristã é ser uma auxiliar para o seu marido nas decisões importantes para a família, sendo submissa a ele (cf. Ef 5,22).

No entanto, esse é um ponto que gera muita discussão na sociedade, devido a uma má compreensão do que é ser submissa. No geral, as pessoas confundem submissão com obediência, quando na verdade não se trata disso.

Uma mulher submissa é aquela que auxilia seu marido, que está sob a sua proteção. Essa relação pode ser mais facilmente compreendida a partir do relacionamento de Cristo com a sua igreja, ou seja, o seu povo. 

A igreja é submissa a Cristo, o que significa que estamos protegidos por Ele, que nos dispomos a seguir Seus ensinamentos. Fazemos isso porque acreditamos que é o melhor para a nossa vida, porque nos tornam pessoas melhores com Ele. É sob essa perspectiva que deve ser compreendida a submissão da esposa ao seu marido.

A mulher, com todas as características da sua feminilidade, com doçura e amabilidade, ajuda seu esposo na liderança do lar. Juntos tomam decisões importantes a respeito da sua família. Juntos constroem um lar sagrado, que tem Deus no seu centro.   

Seja onde for, o papel da mulher cristã é o de se tornar aquilo que ela é por natureza e por graça de Deus: bela e fecunda. Que toda mulher possa fecundar na sociedade o amor de Deus e o Seu Reino. 

 

Comentar

Compartilhar

EnglishPortugueseSpanish