Vocação profissional: Os desafios de uma jovem para encontrar

Uma das questões mais inquietantes na vida de uma jovem é a descoberta da vocação profissional. Afinal, discernir uma vocação envolve questões do tipo: Por que estou neste mundo? Qual o sentido da minha existência? Quais são meus talentos e para qual direção eles me levam?

Além disso, existe dentro de cada jovem um anseio de realização. Principalmente as mulheres, de hoje em dia, sentem uma necessidade de realizar-se profissionalmente.

Com você também é assim?  Você também vive um dilema para descobrir sua vocação profissional? Então, esse texto é para você!

A mulher no mercado de trabalho

A industrialização na década de 40 foi um marco para as mulheres que começaram a encontrar oportunidade de trabalhar nas indústrias. A partir de então, o espaço que as mulheres ocupam no mercado de trabalho vem crescendo ano após ano.

Uma pesquisa do IBGE de 2018 mostra que a presença das mulheres no mercado de trabalho é de 45,3%. Além disso, quando o assunto é vocação profissional, não podemos deixar de citar outro fato. É nítida uma mudança na aceitação das mulheres em profissões que antes tinham o estereótipo masculino.

Dirigir ônibus e caminhão ou ser piloto de avião são exemplos disso. Hoje em dia é cada vez mais comum ver mulheres seguindo uma carreira que antes era destinada apenas aos homens.

Isso acontece, em parte, porque as mulheres de hoje estão mais atentas à sua vocação profissional e também pelo fato de que o mercado de trabalho enxerga elas com outros olhos. Muitas empresas, inclusive, preferem contratar mulheres, pois acreditam que o seu jeito de ser e de trabalhar pode fazer a diferença dentro da empresa.

As mulheres costumam ser mais organizadas, mais focadas e dedicadas, o que lhes confere uma performance melhor no mercado de trabalho.

Além disso, as mulheres têm a fama de ser multitarefa, ou seja, conseguem se dedicar às mais diversas demandas ao mesmo tempo. Outro requisito que destaca a mulher no mercado de trabalho é a rapidez com que ela consegue tomar decisões e resolver problemas.

A resiliência é também um diferencial das mulheres. Elas lidam melhor com a pressão do dia a dia nas suas profissões e conseguem extrair com mais facilidade um aprendizado de situações ruins.

Como discernir sua vocação profissional

Que a mulher tem muito a acrescentar no mercado de trabalho é indiscutível.

Contudo, para que ela se sinta realizada e feliz com seu trabalho e, de fato, consiga oferecer o melhor de si é necessário primeiro discernir sua vocação profissional.

Se este é o seu dilema no momento, veja estas dicas!

  • Autoconhecimento

Antes de tentar entender sua vocação profissional, você precisa conhecer bem a si mesmo. Como? Observando suas características pessoais, seus gostos e até traços de personalidade.

Mas vá com calma! Esse autoconhecimento não acontece de um dia para outro. É um exercício diário.

  • Busque ajuda de um psicólogo

O psicólogo é um profissional que pode te ajudar a descobrir sua vocação por meio de um teste vocacional.

Esse teste é uma análise que considera as suas características pessoais para apontar em qual área você poderá se sair melhor. Ou seja, te ajuda a compreender qual profissão combina com suas características.  

  • Conheça o mercado de trabalho

Não é possível tomar uma decisão às cegas, é preciso conhecer bem as opções que mais atraem a sua atenção.

Além disso, novas profissões e possibilidades surgem a todo momento, pois o mercado de trabalho é muito dinâmico.

Por isso, fique atenta e não se canse de recorrer àquele famoso site de buscas.

  • Estude as profissões

Na hora de definir sua vocação profissional, a pressa e a ansiedade são suas maiores inimigas.

Você precisa agir com cautela e buscar informações sobre as profissões que mais chamam a sua atenção.

Leia tudo o que encontrar a respeito e, se possível, converse com profissionais da área. Procure saber as áreas de conhecimento mais exigidas durante a faculdade ou curso técnico.

É importante também estar atenta às oportunidades de trabalho na área.

  • Não tome uma decisão pensando em dinheiro

O salário é importante, isso é inegável!

No entanto, querer determinar sua vocação profissional baseada no quesito remuneração, pode ser uma roubada.

Imagine uma pessoa que opta por fazer medicina pelo salário atrativo, mas que tem pavor de sangue e de fraturas expostas. Essa pessoa conseguirá desempenhar sua profissão com amor e excelência? É provável que não.

Portanto, nada de decidir sua profissão pensando no dinheiro. Ele é uma consequência, virá com o tempo, a partir do seu sucesso profissional.

 Gostou desse conteúdo? Então compartilhe e marque aquela amiga que está no mesmo dilema!

Comentar

Compartilhar

EnglishPortugueseSpanish